Home

N.º 188, Jan.-Abr. 2015 - Materialidades da Literatura

Por Revista Colóquio/Letras, publicado em 6.1.2015 na secção Notícias

"Materialidades da Literatura" é um paradigma de trabalho emergente nos estudos literários, com uma ascendência variada: história do livro, nova filologia, materialismo cultural, teorias dos novos meios, poética digital, etc.

Neste âmbito, Osvaldo Manuel Silvestre aborda a técnica de cinema usada por Joaquim Pedro de Andrade para filmar Manuel Bandeira no documentário O Poeta do Castelo; as tecnologias digitais aplicadas às Humanidades são comentadas por Paulo Silva Pereira em "Barroco digital: remediação, edição textual e arquivo" e por Ricardo Namora em "(Re)criando infraestruturas: o que é exatamente a e-Filologia?"; Manuel Portela e António Rito Silva apresentam-nos uma nova forma de ler o Livro do Desassossego em "A dinâmica entre arquivo e edição no ‘Arquivo LdoD’"; e Sónia Deus Ferreira elucida a forma como no Barroco texto e imagem se conjugam para figurar a morte.

O n.º 188 inclui ainda artigos de Maria Alzira Seixo (o romance Maria Adelaide de M. Teixeira Gomes), Maria de Jesus Cabral (Interlúnio de Eugénio de Castro), Rita Basílio (a correspondência de Pessoa com Ofélia Queiroz), Ângela Varela (o poema em prosa de António Ramos Rosa) e Laura Cavalcante Padilha (Luuanda de Luandino Vieira).

Para além das habituais secções de notas e recensões críticas, publicam-se poemas de Golgona Anghel, um quase-inédito de Alberto de Lacerda e uma entrevista de Ana Marques Gastão a Lídia Jorge.

Emerenciano é o artista convidado.


© Fundação Calouste Gulbenkian, 2006-2017