Home

N.º 197, Jan.-Abr. 2018 - Camões

Por Revista Colóquio/Letras, publicado em 3.1.2018 na secção Notícias

Com capa e separadores do artista Cruz Filipe, o n.º 197 da revista Colóquio/Letras inclui um suplemento com a versão portuguesa do artigo de J. M. Coetzee “Confissão e pensamentos duplos”. Trata-se de um longo e denso ensaio sobre a sinceridade das confissões presentes nas obras A Sonata de Kreutzer de Tolstói, Confissões de Rousseau, e Cadernos do Subterrâneo, Os Demónios e O Idiota de Dostoievski.

O núcleo principal da revista, dedicado a Camões, abre com um artigo que recorda a polémica instalada no século XVII entre os padres Manuel Pires de Almeida e João Soares de Brito a propósito do prestígio do poeta seiscentista e da interpretação do episódio do sonho do rei Venturoso d’Os Lusíadas (Canto IV). Seguem-se ensaios sobre a representação iconográfica de Camões na produção literária e ensaística de Vasco Graça Moura; sobre a combinatória semântica na construção d’Os Lusíadas; e uma entrevista de Rita Marnoto a Maurizio Perugi acerca da ciência da edição crítica da lírica camoniana.

Outros temas são tratados na secção de ensaio: as principais peças de Shakespeare comentadas por Helder Macedo; os 500 anos de “Comigo me desavim”, canção revisitada várias vezes ao longo do século XX (de Alexandre O’Neill a Caetano Veloso); a divulgação da cultura popular de origem africana por Cecília Meireles no Portugal dos anos 30; o trabalho com a linguagem de Ruy Belo em paralelo com a “Construção” de Chico Buarque; a ficção de Miguel Torga e Lins do Rego.

O número integra ainda um ensaio de Eduardo Lourenço sobre o Pessoa de Casais Monteiro, cinco cartas inéditas para Miguel Torga, poemas de Miguel-Manso e as habituais secções de crítica.

© Fundação Calouste Gulbenkian, 2006-2018