Home
Camões, Luís de — «A Instabilidade da Fortuna» (1) · Camões, Luís de — «Aquele moço fero» (1) · Camões, Luís de — «Em prisões baixas fui um tempo atado» (1) · Camões, Luís de — «Fiou-se o coração de muito isento» (1) · Camões, Luís de — «Grão tempo há já que soube da ventura» (1) · Camões, Luís de — «Manda-me Amor que cante docemente» (1) · Camões, Luís de — «Oh! quão caro me custa o entender-te» (1) · Camões, Luís de — Rimas (1)
[+] Abrir

© Fundação Calouste Gulbenkian, 2006-2023